quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Emergência na Síria: Refugiados nos países vizinhos passam de 200 mil


Em número recorde, 2.200 sírios cruzaram a fronteira com a Jordânia na noite desta quinta-feira e foram levados para o campo de Za'atri. O número total de refugiados registrados pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) nos países vizinhos à Síria já passa de 200 mil. 

O ACNUR disse nesta sexta-feira que o expressivo aumento de 170.116 para 202.512 em apenas uma semana é reflexo de dois fatores: primeiro de contabilizar os refugiados no campo de Za'atri que ainda aguardam o o registro oficial e, por outro lado, o contínuo influxo de refugiados nos países que fazem fronteira com a Síria. 

Os sírios que chegaram a Jordânia na madrugrada de 23 para 24 de agosto vêm de diferentes cidades e vilas. O número excedeu o recorde anterior de 1.254 pessoas que entraram no país em uma noite, registrado no começo desta semana. 

“Mais pessoas devem chegar nos próximos dias”, disse Adrian Edwards, porta-voz do ACNUR, em uma conferência em Genebra. “Na Jordânia, 61 mil pessoas estão registradas ou aguardam pelo procedimento. Mas o governo estima que 150 mil sírios já estejam no país”. 

O campo de Za-atri abriga mais de 14.500 refugiados da Síria. A eletricidade foi instalada em 40% do campo, o que permitirá implantar mais melhorias. 

No entanto, o maior número de refugiados da Síria está na Turquia, onde há mais de 74 mil pessoas de acordo com as estimativas do governo até esta quarta-feira. Os recém-chegados têm sido temporariamente abrigados em escolas enquanto novos campos não ficam prontos. 

“Autoridades locais informaram ao ACNUR que sete novos campos estão sendo construídos. Juntamente com os nove campos já existentes, a capacidade de abrigo na Turquia subirá para 130 mil”, disse Edward. “Três dos novos campos devem ficar prontos até o final de agosto, os demais serão concluídos até o fim de setembro.” 

O Líbano também tem fluxo constante de sírios, principalmente de Aleppo, Damasco e Dara. O país tem hoje 51 mil refugiados registrados ou que já solicitaram o registro. Milhares de outros recém-chegados ainda não entraram em contato com o ACNUR. 

As operações do ACNUR no Líbano, onde um novo centro de registros de refugiados foi aberto há duas semanas, estão prejucidadas pela eclosão na cidade de Típoli, ao norte, entre apoiadores e opositores do governo Sírio. 

"O centro de registros até ontem estava funcionando com número reduzido de funcionários, já que metade deles vive na área afetada pelos tiroteios", disse Edwards. "No Vale do Bekaa, a leste do Líbano, o registro de refugiados também está afetado pelos sequestros de sírios na região." 

O ACNUR teme que a deterioração das condições de segurança prejudique a assistência aos cerca de 500 refugiados sírios temporariamente alojados em escolas, que serão desocupadas em poucas semanas para o início do ano letivo. 

O movimento de sírios para o Iraque diminuiu na última semana, mas houve um ligeiro aumento de refugiados na região do Curdistão iraquiano. O total de refugiados no Iraque agora é de 15.898. 

Além disso, muitos refugiados iraquianos que viviam na Síria voltaram ao Iraque. Muitos dos entrevistados pelo ACNUR relataram assaltos e roubos na Estrada entre Damasco e a fronteira iraquiana.

Artigo disponível em