terça-feira, 8 de março de 2011

Assim vai Moçambique


Moçambique na elaboração do relatório sobre governação
Moçambique participa na elaboração do terceiro “Relatório Africano Sobre Governação” que, entre vários objectivos, visa monitorar e avaliar os progressos dos países africanos em matérias de democracia e boa governação. O relatório, que versa sobre o tema “Eleições e a Gestão da Diversidade: Questões e Desafios”, tem ainda o objectivo de dar a voz e poder aos povos africanos nas suas percepções e perspectivas sobre governação nos seus países. A pesquisa “identifica e oferece uma amostra de boas práticas sobre governação como um meio de promoção de novas normas e práticas de governação em África”.(Jornal Noticias)

EUA reitera apoio ao desenvolvimento de Moçambique
Os Estados Unidos da América não prevêem quaisquer mudanças nos programas de apoio ao desenvolvimento que estão a realizar com vários países do mundo, incluindo Moçambique. A posição foi manifestada ontem,  em Maputo, pela Sub-Secretária norte-americana do Estado Adjunta para os Assuntos Africanos, Susan Page, à saída da audiência que lhe fora concedida ontem pelo Chefe de Estado , Armando Guebuza. Falando a imprensa momentos após o encontro, Page disse que reiterou junto do estadista nacional a vontade do Governo do seu país, em prosseguir com os programas conjuntos de desenvolvimento que estão a ser realizado a nível nacional, apesar da crise económica e financeira que abala o seu país, em particular, e o mundo, em geral.(Jornal Noticias)

Oposição exige explicações do ministro do Interior no Parlamento
Os partidos da oposição na Assembleia da República exigem a ida do ministro do Interior ao Parlamento, para explicar as razões que levaram a cobranças ilícitas na emissão de documentos de Identificação Civil, durante um período de 2 meses. As bancadas da Renamo e do MDM exigem do Governo, explicações em relação à cobrança de preços revogados na emissão de Bilhetes de Identidade, passaportes, DIRE’s. Através dos diplomas ministeriais nº. 261 e 262, ambos de 24 de Dezembro de 2010, os ministros do Interior e da Finanças alteraram os anteriores preços praticados na emissão dos documentos aludidos, mas, na prática, continuou-se a cobrar os valores revogados e que penalizam o cidadão.(Canal de Moçambique)

Projectos de Energias Renováveis: Self Energy Moçambique investe USD10 milhões
A Self Energy Moçambique está a investir em projectos de energia renovável no país, avaliados em cerca de 10 milhões USD. O sistema possui uma capacidade de geração térmica que permite uma redução de até 40% nos custos com a energia eléctrica. Os projectos, que contemplam vários tipos de soluções energéticas a partir da luz solar, encontram-se espalhados por quase todo o país, com destaque para as províncias de Nampula, Sofala e Maputo. Os projectos pretendem gerar energia junto a comunidades sem acesso à rede eléctrica, através de tecnologias com base em energia renovável. (Rádio Moçambique)

Produção de carvão em Moçambique deverá crescer este ano mil por cento
O crescimento da produção de carvão este ano em Moçambique deverá registar um crescimento superior a mil por cento, segundo refere o plano económico e social do governo moçambicano.O crescimento previsto é considerado o maior nos últimos anos e ficará a dever-se à entrada de empresas internacionais na exploração de carvão, principalmente na província de Tete, entre elas a brasileira Vale e a australiana Riversdale Mining. A produção prevista para este ano é de dois milhões de toneladas, sendo 750 mil toneladas de carvão de coque (metalúrgico), a serem extraídas em Moatize, um distrito carbonífero por excelência.(Macauhub)

Moçambique e União Europeia estão a preparar novo acordo de pescas
Moçambique e a União Europeia estão a preparar um novo acordo de pescas. Contudo, ainda existem pormenores sobre o novo acordo mas fontes próximas do processo adiantam haver condições para a renovação do pacto que permite que barcos de pesca europeus possam exercer a sua faina em águas moçambicanas. As relações de pesca entre Moçambique e a União Europeia datam de 1988, ano em que foi celebrado um primeiro acordo de pesca, posteriormente renovado em 2004. (Macauhub)

Governo de Moçambique vai dar benefícios a empresários nacionais
O Governo de Moçambique está a criar condições para que os empresários nacionais disponham de vantagens acrescidas nos empreendimentos em curso no país no sector mineiro, afirmou em Maputo a ministra dos Recursos Minerais. Esperança Bias disse que “para já, os concursos internacionais dos grandes empreendimentos do sector passarão a ser igualmente publicados localmente, para que o empresariado nacional possa dispor das várias oportunidades existentes.” Para elucidar a situação, a titular do pelouro dos Recursos Minerais indicou que “dos pouco mais de mil licenças de prospecção, pesquisa, concessões mineiras, reconhecimento e comercialização já concedidos no país, apenas quatro empresas moçambicanas fazem a consultoria específica para a actividade mineira”. (Macauhub)

Moçambique recebeu menos turistas em 2010  
Moçambique recebeu 1,7 milhões de turistas estrangeiros em 2010, o que representa uma quebra de 8,5 por cento relativamente a 2009, anunciou segunda-feira em Maputo o Ministério do Turismo moçambicano. Apesar da redução do número de turistas em 2010, as receitas do sector registaram uma subida, atingindo cerca de 197,3 milhões de dólares face a 195,6 milhões de dólares em 2009. O ministro do Turismo moçambicano, Fernando Sumbana, apontou a crise financeira internacional dos últimos anos e a revolta popular de 1 de Setembro contra o custo de vida como prováveis causas da redução de turistas em 2010.(Macauhub)

Sete distritos de Tete com défice alimentar
Sete distritos da província de Tete, nomeadamente Changara, Mutarara, Magoe, Cahora Bassa, Chiúta, Moatize e a cidade de Tete, estão com problema de défice alimentar, resultante da perca de vários hectares de culturas diversas na sequência da falta de chuvas, na presente safra agrícola. Alexandre Constantino, chefe dos Serviços de Agricultura na direcção provincial do sector, em Tete, disse que as chuvas nas zonas central e sul da província começaram a escassear em finais de Janeiro do presente ano, altura em que a maior parte das culturas estava na fase de afloramento e, em alguns casos, de maturação.(Jornal Noticias)

Já foram repatriados todos os 444 imigrantes ilegais
Já foram repatriados todos os 444 imigrantes, entre legais e ilegais, que se encontravam albergados no centro de treinamento paramilitar da Autoridade Tributária de Moçambique, no distrito de Boane, província de Maputo. Segundo o director nacional adjunto de Migração, Leonardo Bauhofer, o último grupo de imigrantes foi repatriado logo às primeiras horas do último domingo. Recorde-se que os imigrantes em causa haviam sido deportados da vizinha África do Sul para Moçambique, há sensivelmente mês e meio, alegadamente por terem entrado naquele país vizinho de forma ilegal, mas ostentando vistos legais de estadia em Moçambique, na condição de turistas. (Jornal O País)