segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Paquistão: Falta de segurança afeta dia a dia da população

A preocupação quanto à segurança continua afligindo a rotina da maioria dos paquistaneses e afectando as actividades humanitárias. O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Crescente Vermelho Paquistanês continuam com seus esforços para ajudar as pessoas em todo o país cujas vidas foram desestruturadas.

As pessoas deslocadas pelo conflito na província de Khyber Pakhtunkhwa (antiga Província da Fronteira Noroeste) e Território Federal de Áreas Tribais, incluindo aquelas que começaram o processo de voltar para suas casas na Agência de Orakzai e em Waziristão do Sul, ainda precisam de assistência.

Além de levar socorro às vítimas das enchentes, nos últimos dez meses o CICV forneceu mais de 2 milhões de rações alimentares suficientes para um mês para as pessoas deslocadas pelo conflito e também está vigorosamente envolvido com muitas outras actividades humanitárias.

"Estamos fazendo mais do que simplesmente prestar socorro em forma de alimento", disse o chefe da delegação do CICV em Islamadad, Pascal Cuttat. "O hospital cirúrgico do CICV para pacientes feridos por armas em Peshawar está funcionando em sua capacidade total há meses.

Em 2010, recebeu mais de mil pacientes e realizou mais de 3,8 mil cirurgias". Os pacientes com ferimentos graves causados por armas quase sempre são encaminhados para o hospital, que conta com uma equipe de cirurgiões paquistaneses e internacionais altamente experiente.

Os engenheiros hídricos do CICV que trabalham na remota aldeia de Bekhane, no distrito de Buner, no noroeste do país, começaram a reforma de uma estação hidroeléctrica que é a única instalação geradora na região. Em outros distritos, os engenheiros da organização estão consertando equipamentos de armazenamento e filtragem de água para mais de 30 mil moradores que contam com isso para ter água potável.

O CICV também entrega água potável para um campo de deslocados internos na remota Upper Dir. "O CICV continua comprometido a trabalhar de maneira transparente para garantir que mantenha o acesso necessário para levar socorro a todas as vítimas da violência armada", disse Cuttat.

Quase seis meses depois das chuvas de monção terem causado graves enchentes em todo o país, as pessoas estão tentando reconstruir suas vidas, que foram despedaçadas. Em partes da província de Sindh, o progresso pode ser dolorosamente lento. Dezenas de milhares de moradores de Sindh vivem em uma área devastada miserável e húmida onde a água parada da inundação que ainda cobre os campos é uma grave preocupação para a saúde e impossibilita o cultivo de subsistência.

A equipe do escritório do CICV em Jacobabad, que trabalha em conjunto com o Crescente Vermelho Paquistanês, distribuiu rações alimentares suficientes para um mês para quase 280 mil pessoas na província, onde o CICV continuará levando socorro em um futuro próximo.

Até o final de Dezembro, o CICV havia fornecido rações alimentares suficientes para um mês e artigos de higiene, utensílios domésticos e abrigo para quase 2,3 milhões de pessoas em todo o Paquistão afectadas pelo conflito ou pela enchente. 

Além disso, prestou apoio directo a outras 250 mil pessoas em Khyber Pakhtunkhwa e Balochistão, o que lhes permitiu plantar cereais de inverno. O tom verde das primeiras plantações de trigo que cobrem muitos dos campos de Khyber Pakhtunkhwa mantém a esperança de que a recuperação está finalmente a caminho.

HREA