sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Wikileaks recorre a IP na Suíça, após despejo nos EUA

 O portal WikiLeaks comunicou nesta sexta-feira através de sua conta no Twitter que alojou seu espaço na internet com os documentos do Departamento de Estado americano em um endereço IP da Suíça.

O portal explicou que tinha sido desalojado pela empresa americana Everydns, que lhe proporcionava os serviços DNS (sistema de nome de domínio).

A Everydns alegou em comunicado que os ataques maciços dos quais era alvo o Wikileaks.org põem em perigo os outros quase 500 mil sites que utilizam seus serviços.

Nesta quinta-feira, a empresa americana Tableau Software, cujo software foi utilizado pelo Wikileaks para criar e publicar gráficos relacionados com a diplomacia dos Estados Unidos, retirou também seu suporte técnico à página de Julian Assange.
Em seu blog, a empresa explicou que na quarta-feira à tarde retirou "visualizações de dados publicados pelo Wikileaks", em resposta a um pedido público do senador independente por Connecticut Joe Lieberman, que preside o Comitê de Segurança e Assuntos Governamentais do Senado dos EUA.
Previamente outra companhia americana, a Amazon, deixou de acolher a página do Wikileaks, também pelo fato que Lieberman reprovou a empresa por sua relação com o site dedicado ao vazamento e difusão de documentos comprometedores.
Segundo informou o portal especializado Gizmodo, o servidor OVH, baseado em Roubaix, norte da França, está acolhendo o wikiLeaks.org desde esta quinta-feira.

Para garantir sua distribuição, o WikiLeaks tinha se abrigado em dois servidores, o sueco Bahnhof, muito comprometido com a liberdade de expressão, e o americano Amazon, agora substituído pelo OVH.

O portal WikiLeaks comunicou nesta sexta-feira através de sua conta no Twitter que alojou seu espaço na internet com os documentos do Departamento de Estado americano em um endereço IP da Suíça.

O portal explicou que tinha sido desalojado pela empresa americana Everydns, que lhe proporcionava os serviços DNS (sistema de nome de domínio).
A Everydns alegou em comunicado que os ataques maciços dos quais era alvo o Wikileaks.org põem em perigo os outros quase 500 mil sites que utilizam seus serviços.

Nesta quinta-feira, a empresa americana Tableau Software, cujo software foi utilizado pelo Wikileaks para criar e publicar gráficos relacionados com a diplomacia dos Estados Unidos, retirou também seu suporte técnico à página de Julian Assange.

Em seu blog, a empresa explicou que na quarta-feira à tarde retirou "visualizações de dados publicados pelo Wikileaks", em resposta a um pedido público do senador independente por Connecticut Joe Lieberman, que preside o Comitê de Segurança e Assuntos Governamentais do Senado dos EUA.

Previamente outra companhia americana, a Amazon, deixou de acolher a página do Wikileaks, também pelo fato que Lieberman reprovou a empresa por sua relação com o site dedicado ao vazamento e difusão de documentos comprometedores.

Segundo informou o portal especializado Gizmodo, o servidor OVH, baseado em Roubaix, norte da França, está acolhendo o wikiLeaks.org desde esta quinta-feira.

Para garantir sua distribuição, o WikiLeaks tinha se abrigado em dois servidores, o sueco Bahnhof, muito comprometido com a liberdade de expressão, e o americano Amazon, agora substituído pelo OVH.