segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA: RENAMO BOICOTA APRESENTAÇÃO DO INFORME DO PRESIDENTE GUEBUZA SOBRE O ESTADO DA NAÇÃO

Pela terceira vez consecutiva, os deputados da Renamo, o principal partido da oposição, abandonaram hoje a sala da Assembleia da República, momentos antes do Presidente Armando Guebuza apresentar o seu informe anual do estado da Nação.

Um dos parlamentares daquela formação política, tentou, antes do discurso do estadista moçambicano, levantar uma "questão prévia", o que foi peremptóriamente rejeitado pela Presidente da Assembleia da República, Verónica Macamo, que alegou que se estava perante uma sessão solene.

Quando Armando Guebuza tomou a tribuna, todos os deputados da Renamo levantaram-se e abandonaram ruidosamente a sala.

O porta-voz do grupo parlamentar da Renamo, Arnaldo Chalaua, justificou o boicote, alegando que Guebuza não respondeu às acusações de tráfico de droga contidas nos telegramas diplomáticos da embaixada dos Estados Unidos, divulgados pelo site Wikileaks.

Recorde-se que governo, em comunicado emitido semana passada, respondeu aos referidos telegramas, assinados pelo ex-responsável encarregado de negócios americano em Maputo, Todd Chapman, descrevendo-os como inteiramente falso.

Aparentemete, a posição do governo de Moçambique não foi satisfatória para a Renamo, que exigia que o governo deveria comparecer perante a Assembléia para responder às alegações de Todd Chapman.

No debate parlamentar da semana passada, no qual foi rejeitado o pedido da Renamo, a ex-primeira-ministra Luísa Diogo declarou que "Nós fomos eleitos para discutir assuntos de interesse nacional. Não é nosso trabalho discutir material publicado nos jornais, e com base em pareceres que não tenham sido suportados pelo seu país de origem, e alguns dos quais foram negados ".

Fonte: Radio Moçambique