sábado, 16 de outubro de 2010

PR chega a Massinga viajando via terrestre para o lançamento da próxima campanha agrícola

O Presidente Armando Guebuza encontra-se desde a tarde de ontem, no distrito de Massainga, província de Inhambane, onde procede hoje ao lançamento da campanha agrícola, tendo viajado de Maputo até aquele ponto por terra, juntamente com a sua comitiva. Refira-se que o Governo tomou recentemente um conjunto de medidas de austeridade, nomeadamente a contenção da despesa pública, visando reduzir o impacto negativo do custo de vida no país.

Para chegar a localidade de Ngomane, em Massinga, que hoje acolhe as cerimónias centrais de lançamento da campanha agrícola 2010/2011, bem como as celebrações do dia mundial de alimentação, o Presidente fez um percurso de aproximadamente 570 quilómetros com três paragens, nas cidades de Xai-Xai, na província de Gaza, na localidade de Zandamela, na cidade da Maxixe, em Inhambane, e no fim a vila da Massinga.

Hoje, o Chefe de Estado, vai deixar dirigir uma mensagem aos residentes de Massinga e ao país inteiro, sublinhando a necessidade de se apostar na produção agrícola, aumentando as áreas de produção, como sendo a principal alternativa para suprir as carências alimentares, uma crise internacional que origina a subida de preços de cereais em todo o mundo.

Guebuza vai também renovar o apelo ao trabalho para que os moçambicanos encontrarem soluções locais, a partir dos meios ao seu dispor, com o fim de resolver os problemas decorrentes de falta de comida, sendo a primeira solução a exploração racional e sustentável dos recursos disponíveis, bem como o cumprimento das politicas de austeridade para a contenção de custos.

Para além de orientar um encontro popular, o estadista vai participar na jornada de plantação de árvores na Lagoa de Hanhane, uma actividade que se encere na política de multiplicação de florestas comunitárias.

Entretanto, o Ministro de Agricultura, José Pacheco, disse ontem, em Massinga, que uma das suas grandes prioridades no pelouro que dirige há quatro dias, será fazer com que as políticas definidas no sector agrário, sejam cumpridas por todos, abrindo oportunidades para que todos actores apliquem os seus conhecimentos para a melhoria da produção agrícola no país.

Pacheco não avançou as previsões da colheita da safra agrícola que arranca hoje em todo pais, mas assegurou que foram criadas condições necessárias para que as metas estabelecidas sejam alcançadas, nomeadamente o aprovisionamento de sementes, pesticidas para o combate as pragas, bem como capacidade humana para assistência técnica, para além da consolidação de construção de infra-estruturas hidráulicas.