quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Principais Noticias de África

Moçambique:

Assembleia da República tem 9 deputados a mais em violação da Constituição
O Conselho Constitucional (CC) mandou restituir o mandato dos 9 deputados que apresentaram recursos ao órgão, contestando a decisão da Comissão Permanente da Assembleia da República (CPAR) de lhes retirar seu mandato, alegadamente por se terem candidatado às Eleições Legislativas de 28 de Outubro último, pelas listas do MDM, enquanto ainda cumpriam mandato no qual foram eleitos pelas listas da Renamo-União Eleitoral (RUE). Agora, a Assembleia da República conta com 259 deputados, contra os 250 estabelecidos pelo n.º 2 do art.170 da Constituição da República. É que sem dar espaço de recurso aos deputados expulsos, a CPAR havia admitido já outros cidadãos da RUE, para assumirem as vagas que foram retiradas aos 9 deputados que o CC agora manda que sejam readmitidos com todos os seus direitos anteriores e retroactivamente. (http://www.canalmoz.com/default.jsp?file=ver_artigo&nivel=1&id=7&idRec=7053)


África do Sul:
África do Sul descarta temor de atentados aéreos no Mundial
A África do Sul descartou que o aumento do temor de atentados terroristas nos aviões após a tentativa fracassada no dia do Natal em Detroit acabe levando os torcedores a repensar a viagem ao continente africano para o Mundial de futebol. "O fato de que haja africanos envolvidos não é bom para a África, especialmente quando muitos estrangeiros veem à África como um só objetivo", disse a socióloga Mary Haas, citada pela imprensa local. "Não acredito que isso manche a imagem da África ou da África do Sul", acrescentou, em clara referência ao fato que tanto o Governo local quanto a Fifa estão apostando em fazer um Mundial não só um evento sul-africano, mas continental.

Grande parte dos ingressos para assistir à fase final do Mundial já está vendida e os americanos são os torcedores que compraram o maior número de bilhetes.

Se tivesse ocorrido, o atentado fracassado de Detroit seria o mais grave em território americano desde o 11 de setembro de 2001, por isso o alarme que o episódio desperto no mundo inteiro. A África do Sul não foi uma exceção e diminuiu as medidas de vigilância em seus aeroportos, mas na semana passada a Autoridade de Aviação Civil disse que os planos não deveriam inquietar a população apesar à iminência da fase final do Mundial. "O país tem planos para assegurar que todos os fãs do futebol, incluindo os habitantes da África do Sul, tenham tranqüilidade durante o Mundial", afirmou a porta-voz do Governo, Baby Tyawa. A Autoridade de Aviação Civil da África do Sul recebeu instruções por parte da Administração de Segurança de Transporte dos Estados Unidos para apertar as medidas de segurança nos aeroportos e, em particular, nas companhias aéreas que voam ao território americano. (http://www.google.com/hostednews/epa/article/ALeqM5gyFwsX_GRLYu0shE2BcspCTQOrWQ)

RDC
Centenas de mortos na RD Congo
Confrontos entre forças governamentais e grupos armados fizeram mais de 150 mortos nos últimos dias na República Democrática do Congo. Os confrontos começaram no Norte do país entre comunidades de dias etnias diferentes. Desde então têm surgido várias ameaças de uma rebelião contra o Presidente do Congo, Joseph Kabila. Face à situação de grande instabilidade e insegurança que se vive naquele país, na semana passada as Nações Unidas estenderam o mandato das forças de manutenção de paz no Congo por apenas mais cinco meses, em vez de prolongarem a missão por um ano, como é habitual. As Nações Unidas devem renovar o mandato depois desse prazo, mas em moldes ainda a definir. (http://www.rr.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=93&did=85673)


Nigeria
Nigéria faz protesto oficial aos EUA por rigor com passageiros do país
A Nigéria fez hoje um protesto oficial aos Estados Unidos por causa de sua inclusão na lista de 14 países cujos cidadãos podem ser submetidos a revistas mais rigorosas em voos para território americano.

O protesto foi entregue pelo Ministro de Assuntos Exteriores nigeriano, Ojo Maduekwe, à embaixadora dos Estados Unidos na Nigéria, Robin Sanders, que foi convocada pelo chefe da diplomacia nigeriana.

"Mostrei ao Governo americano, por meio de sua embaixadora, que a medida adotada é um inaceitável presente de ano novo para um país amigo como a Nigéria", disse Maduekwe aos jornalistas após seu encontro com Sanders.

Segundo o ministro, o Governo americano ofereceu às autoridades nigerianas 12 scanners corporais para melhorar a revista dos passageiros nos aeroportos do país.

A decisão das autoridades americanas de intensificar os controles sobre os passageiros de 14 países foi tomada no último final de semana, depois que no dia 25 de dezembro o jovem nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab tentou detonar explosivos escondidos em sua roupa dentro de um voo da Northwest Airlines.

"Detectamos certo tratamento diferenciado neste assunto. O que Farouk tentou fazer não é diferente do que o 'terrorista do sapato' fez em 2001, mas este não foi incluído em nenhuma lista de segurança", disse Maduekwe.

O "terrorista do sapato" é Richard Reid, um britânico que admitiu ser membro da organização terrorista Al Qaeda e foi condenado à prisão perpétua por um tribunal americano por sua tentativa de destruir um avião em pleno voo com explosivos escondidos em seus sapatos.

Na segunda-feira, as autoridades de Abuja disseram que a inclusão da Nigéria na lista de segurança americana foi "discriminatória".

"As ações de Abdulmutallab foram individuais. Ele não foi recrutado ou treinado na Nigéria e não recebeu apoio de nenhum tipo neste país", disse a ministra de Informação e Comunicações, Dora Akunyili. (http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1435769-5602,00-NIGERIA+FAZ+PROTESTO+OFICIAL+AOS+EUA+POR+RIGOR+COM+PASSAGEIROS+DO+PAIS.html)