terça-feira, 3 de novembro de 2009

SADC DEBATE CRISE ZIMBABWEANA EM MAPUTO

A TROIKA do órgão da Defesa e Segurança da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) reúne-se quinta-feira, em Maputo, numa cimeira descrita como “mais uma tentativa para pôr fim à crise que ameaça o Governo de Unidade Nacional no Zimbabwe, revelou ontem fonte oficial do overno de Harare.


Segundo a fonte, o Presidente Armando Guebuza, que preside o órgão, o Rei M´swati III, da Suazilândia, e o Presidente zambiano, Rupiah Banda, vão manter conversações na próxima quinta-feira em Maputo, esperando-se que da cimeira resultem medidas que ponham termo ao diferendo que presentemente separa os líderes zimbabweanos.


“A troika irá encontrar-se em Moçambique esta quinta-feira como parte dos esforços para pôr termo ao impasse”, que se verifica no Governo de união nacional no Zimbabwe, anunciou ontem, em Harare, James Maridadi, porta-voz do Primeiro-Ministro zimbabweano, Morgan Tsvangirai.


A crise que actualmente afecta o Executivo de Harare é considerada “a primeira de maior dimensão” desde a instauração do Governo de união, em Fevereiro último.


O Primeiro-Ministro Morgan Tsvangirai acusa o Presidente da República, Robert Mugabe, de ser “parceiro imprevisível e desonesto” por alegadamente se recusar a implementar o pacto de partilha do poder, sobretudo no que se refere à indicação de cargos seniores de direcção como é o caso do Governador do Banco Central e do Procurador-Geral da República.


O Movimento para a Mudança Democrática (MDC), liderado por Tsvangirai, acusa igualmente a ZANU-FP (partido do Presidente Mugabe) de perseguição contra os seus membros, bem como de atrasar as reformas da Constituição e da mídia, que se revelam vitais para a realização de eleições livres e justas, dentro de dois anos.


Robert Mugabe, por seu turno, tem reiterado que cumpriu a sua parte no acordo de partilha do poder e insiste que o MDC deve insistir na campanha para a retirada das sanções impostas aos membros da ZANU-FP pelo Ocidente, incluindo as restrições de viagens para certos países.


O Presidente da RD Congo, Joseph Kabila, actual líder do bloco regional, esteve domingo em Harare, onde manteve encontros com os líderes zimbabweanos.


Segundo ele, o GUN constitui a melhor opção para tirar o Zimbabwe da situação de conflito em que actualmente se encontra.


O Governo zimbabweano mergulhou mês passado numa nova crise, após o MDC ter retirado os seus ministros do executivo, boicotando assim a implementação do acordo de partilha do poder.