quinta-feira, 29 de outubro de 2009

MALGAXES RETOMAM AS NEGOCIAÇÕES


Os líderes das quatro principais forças políticas de Madagáscar vão reunir-se numa cimeira em Addis Abeba, a capital etíope, de 3 a 5 de Novembro, anunciou ontem o medidador da União Africana (UA) para o conflito. “O objectivo será completar a aplicação dos acordos de Maputo”, assinados a 9 de Agosto como roteiro para a paz, após uma intensa crise política, afirmou o mediador, Ablassé Ouedraogo, no final de uma missão de três dias a Madagáscar.

Na cimeira deverão participar o actual homem forte do país africano, Andry Rajoelina, o presidente deposto Marc Ravalomanana e os dois ex-presidentes Didier Ratsiraka e Albert Zafy.

Os acordos prevêem uma arquitectura política para um período de transição até novas eleições presidenciais, a terem lugar até final de 2010.
Os líderes malgaxes tinham cimeira marcada para meados de Outubro em Genebra, que acabou por ser anulada depois de Ravalomanana ter insistido que tivesse lugar no continente africano.

Madagáscar encontra-se mergulhado desde o início do ano numa grave crise política provocada por um conflito aberto entre Ravalomanana e Andry Rajoelina, então presidente da Câmara de Antananarivo e líder da oposição.

O “braço-de-ferro” entre os dois políticos provocou diversas manifestações e a morte de mais de uma centena de pessoas, bem como a condenação da comunidade internacional, que suspendeu grande parte da ajuda financeira ao país, um dos mais pobres do mundo.
O acordo inter-malgaxe é resultado de uma mediação, coordenada pelo antigo presidente Joaquim Chissano.