sexta-feira, 30 de outubro de 2009

ELEIÇÕES 2009 – DAVIZ SIMANGO EM SEGUNDO LUGAR NAS CONTAGENS


A Frelimo, nas legislativas e Armando Guebuza, nas presidenciais estão à beira de alcançar uma vitória histórica se se considerar a larga vantagem que detém em relação aos outros candidatos e partidos políticos no apuramento parcial, à boca das urnas, das quartas eleições gerais e multipartidárias e das primeiras para as Assembleias provinciais.

Com efeito, dados gerais do apuramento referentes as presidenciais apresentados pela CNE dão conta que o candidato Armando Guebuza somava 536440 votos (74 por cento), Daviz Simango 121543 (17 por cento) e Afonso Dhlakama quedava-se em 64893 (9por cento). Estes dados referem-se a uma altura em que estavam escrutinadas qualquer coisa como 17.99 por cento do total de votos.

Os números divulgados na noite de ontem pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), dão conta que na província do Maputo, onde já foram processados votos de 419 assembleias, de um total de 848, o candidato presidencial do partido no poder soma 137.843 votos (87,2 por cento), contra os 13.823 votos (8,7 por cento) de Daviz Simango e 6.323 votos (4,0 por cento), de Afonso Dhlakama.

No que tange as legislativas, a Frelimo vai a frente com 118.614 votos, a Renamo na segunda posição com 8.994 votos, tendo o PDD conseguido somar 2.170.

No circulo eleitoral de Manica , e numa altura em que foram já processadas 113 mesas de um total de 847, Armando Guebuza ganha com 29.980 votos (72,17 por cento), com Afonso Dhlakama em segundo lugar ao ter arrecadado 6.409 votos (15,43 por cento), e Daviz Simango na terceira posição com 5.149 votos (12,40 por cento).

Nas eleições para o Parlamento a Frelimo figura no primeiro plano contando com 29.068 votos (75,5 por cento) e a Renamo com 9.011votos (20,8 por cento).

Em Inhambane o concorrente da Frelimo já vai com 17.813 votos (85,60 por cento), seguido de Daviz Simango que já totaliza 2.212 votos (10,63 por cento), tendo Afonso Dhlakama apenas conseguido totalizar 785 votos (3,77 por cento), isto quando estão já processadas 52 mesas de voto de um total de 868.
Para a Assembleia da Republica, o partido no poder soma 17.242 votos (85.16 por cento), contra os apenas 908 votos do maior partido da oposicao nacional que contabiliza 908 votos (4,48 por cento).

Na capital do país, Maputo, os votos recolhidos pelo candidato presidencial da Frelimo somavam 178.813 (79,79 por cento), contra os 35432 (15.81 por cento) de Daviz Simango e 9.860 votos de Afonso Dhlakama, o equivalente a 4,40 por cento, isto em 508 mesas de voto processadas de um total de 791.

Nas parlamentares, a Frelimo já vai com 168.783 votos (74,70 por cento) com a Renamo totalizando 12492 votos (5,5) por cento, quando tinham sido já processadas 508 das 791 mesas.

O apuramento provisório do circulo eleitoral de Cabo Delgado ontem divulgado pela CNE indica que Armando Guebuza assume a dianteira com 16.237 votos (81,07 por cento), Afonso Dhlakama com 2.407 votos (12,02 por cento) seguido de Daviz Simango com 1.384 votos (6,91 por cento), num total de 55 mesas processadas de um conjunto de 1138 mesas.

Na disputa de assentos parlamentares o partido no poder no nosso país atingiu 16.030 votos (82,69 por cento) e o seu mais directo adversário a Renamo tinha arrecadado 2.752 votos (14.20 por cento).
Em Gaza, a supremacia é de Armando Guebuza que soma 112.593 (95,76 por cento), Daviz Simango com 3.976 votos (3,38 por cento), tendo Afonso Dhlakama conseguido apenas 1000 votos, ou seja 0,85 por cento. Estes dados referem-se a 288 assembleias de voto processadas num total de 882.

Para o Parlamento a Frelimo contava até ontem com 114.482 votos (97,47 por cento) e a Renamo com 1,14 por cento equivalente a 1,342 votos.

Enquanto isso, em Tete, Armando Guebuza vai em frente com 9.824 votos (88,10 por cento), Afonso Dhkama que somou 836 (7,50 por cento) e Daviz Simango que totalizou 491 votos (4,40 por cento) em 31 mesas de voto processadas de um total de 1207.

Nas eleicoes legistlativas a Frelimo tinha somado até ontem 10.124 votos (93,84 por cento) e a Renamo apenas 592 o correspondente a 5,49 por cento.

Na Zambézia, o segundo maior circulo eleitoral do país e quando já estavam processados votos de 323 assembleias de voto de um total de 2,064 , o concorrrente Armando Guebuza vence com 43,680 votos (63,94 por cento), Afonso Dhlakama na segunda posicao ao totalizar 18,719 votos (27,40 por cento) e Daviz Simango que conseguiu 5,914 votos dos eleitores.

Nas parlamentares a Frelimo tinha já somado 35,906 votos (64,85 por cento) e a Renamo 16,999, ou seja 30,70 por cento, em 218 assembleias.

Quando estavam escrutinadas 354 mesas dum total de 962, o candidato da Frelimo, somava, em Sofala, 71970 votos, Daviz Mbepo Simango 54657 e Afonso Dhlakama 12457.

No que se refere as legislativas a Frelimo somava 69878 votos ( 50,50 por cento), o MDM 51.223 (37,01) e a Renamo 14468 (10,45 por cento).
O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral, através do seu director Geral, Felisberto Naife, disse a imprensa que o processo de contagem dos resultados a nível das mesas de voto foi concluído até as primeiras horas de ontem. Os resultados finais só devem ser conhecidos 15 dias após a eleição.

“Estamos neste momento a fazer a recolha do material. Devemos aguardar calmamente pelos resultados que os órgãos eleitorais estão a trazer para conhecermos o desfecho da votação”, apelou.

Felisberto Naife confirmou que pelos dados disponíveis estas terão sido as eleições que mais afluência tiveram em relação as de 2004, altura em que apenas 36,4 por cento do universo de eleitores exerceu o seu dever.